IMG_6148

A importância de te preparar desde agora para a adolescência do teu filho

Quando você engravida, se prepara para o chá de fraldas, para a bolsa da maternidade, para o parto. Nos meses iniciais, forma sua rede, a família baba pelo bebê, todos choram de emoção. Reclama das noites mal dormidas e diariamente se agradece a benção de ser pai e mãe.

Depois vêm as brincadeiras, as descobertas, engatinha, caminha, corre, brinca, briga. Tudo na mesma velocidade dessa frase. As descobertas aumentam: começa a ler, a escrever. Faz cálculos, discute, enfrenta, brinca e emociona.

Lá atrás, na nossa primeira ecografia, ninguém fala de um dos períodos mais especiais de toda a paternidade que é adolescência do filho. Esses dias, li um pediatra defendendo que a adolescência é o período mais rico de vivências que um ser humano pode ter. E fiquei pensando: tem pai e mãe que chama o filho de “aborrecente”e se afasta definitivamente dele.

Gianluca está com quase 13, entrando nessa fase. Dias desse, chegou em casa com a camiseta da foto acima (estampada com citação “Ser ou não ser? Eis a questão.”)
Ele fez na aula de artes, e eu poderia ter encarado apenas como mais um trabalho de aula. Mas essa camiseta me trouxe uma resposta: está aqui, estampada para jogar na minha cara, a grande dúvida que ronda a cabeça dos pré-adolescentes de todo o mundo nesse exato momento em que eu escrevo esse texto para nós. Ser ou não ser. O que ser? Como ser? Quero ser? Que ser eu sou?

Hoje, você acha que está léguas distante de ser pai de adolescente, mas, sabemos, o tempo tem velocidade cruel e aniquiladora, muito mais rápido do que podemos acreditar.

Então, meu pedido para você é que se abra desde agora para uma relação de diálogo, compreensão e afeto com seu filho. Claro que iremos nos irritar, perder a paciência, ter raiva. Claro que ele vai te testar, vai te odiar em algum momento. E que bom. Esse é o caminho certo. Mas se a base for sólida, nada disso vai romper os vínculos que criamos com base no amor.

É para criar e manter esses vínculos que um pai deve estar sempre presente. É por isso que vale a pena a paternidade. É por isso que teu filho te ama e te idealiza. É por isso que você quis ser pai. Não decepciona ele, cara.

 

 

Deixe uma resposta