pexels-photo-69096

Minha lista infalível para ser um bom pai

Há duas semanas sem escrever, exercitei a escuta. Digo, a leitura. Abri meus olhos para ler o que revistas especializadas, blogs e perfis em redes sociais estavam falando sobre paternidade e maternidade.

Não gostei do que li.

Lista de dicas para seu filho ser altruísta, 6 dicas para você ser uma mãe parceirona, 7 livros para você ser um pai ativo, 12 sugestões para você ensinar seu filho a lidar bem com dinheiro, 5 dicas infalíveis para seu filho parar de bater no cachorro (sério, li essa umas 5 vezes), 10 atitudes incríveis para seu filho gostar de fazer tema, como ser uma mãe sem culpa em 12 passos, 5 atitudes para lidar bem com os conselhos da sua mãe, e por ai vai a lista que não acaba sem rolar várias vezes esta página.

Então é isso, para ser pai e mãe basta ler todas essas listas, praticar as ações sugeridas em ordem numérica e deu?

Acho que não, e você concorda, não é? Por favor, concorda, senão a coisa está pior do que eu imaginava.

Explico: será que a arte de educar, será que a maternidade e a paternidade viraram simples tarefas que podem ser listadas e resolverão nossas vidas e a dos nossos pimpolhos? Fórmulas mágicas mesmo ou apenas manchetes apelativas para ganharem meu clic?

Já que o pessoal parece curtir uma listinha, eu acredito que no topo dessas listas deveria estar:

1. Ame seu filho e demonstre isso na intimidade.

Ou seja, não adianta ficar postando fotos fofas, dizer para todos o quanto ama seu filho e no aconchego do lar não se comunicar, não escutar seu filho, não passar muito tempo abraçando o “sovando” esse fedelho.

O amor pode estar em cada gesto, mas às vezes é esquecido. Nos gestos diários e simples há grandes oportunidades de demonstrar toda nossa paixão por nossos filhos e por sermos pais e mães.

Não adianta seguir o item 1, 2, 3 e 4 da lista e não olhar profundamente nos olhos do seu filho quando ele quiser contar como foi a escovação de dentes na escolinha. Taí, acabou de brotar um novo item:

2. Dedique tempo para escutar seu filho. Verdadeiramente.

Se minha lista acabasse aqui, 90% dos seus problemas estariam resolvidos.

Para atender aos outros 10%, tenho coisas complexas mas necessárias para sugerir:

3. Divirta-se com seu filho.

Seja feliz praticando atividades conjuntas, de andar de bike a montar Lego, de pentear Barbies a passear com o cachorro. Compartilhe parte do seu tempo com essa pessoinha aí ao seu lado.

4. Faça seu filho entender os limites.

Quase no final da minha lista, este item é muito especial e difícil de cumprir porque muitos adultos são os primeiros a ignorarem essa regra e cedem no primeiro buá. Tudo errado. Já ensinou cachorro a fazer xixi no jornal? É bem parecido: a gente não pode desistir e tem de dar o exemplo.

Ok, eu sei que você não dá exemplo para seu cachorro, mas para seu filho, ele é fundamental.

E exemplo não acontece apenas quando agimos dentro da ética e da lei. Quando somos gentis e amorosos com nossas esposas, estamos deixando muito claro como se deve tratar uma mulher. Quando dizemos sempre a verdade a nossos amigos, pimba, nossos filhotes estão entendendo. Ao tratar com educação e respeito todas as pessoas, estamos passando o recado de que somos todos iguais e pouco importa a roupa que usamos.

Ou seja:

5. Dê o exemplo. Sempre.

Siga esses passos e você não precisará das “6 dicas para você ser uma mãe parceirona, nem dos 7 livros para você ser um pai ativo, muito menos das 12 sugestões para você ensinar seu filho a lidar bem com dinheiro, nem das 5 dicas…” Ou seja:

6. Siga os 5 itens anteriores em looping.

Agora você pode até me xingar porque afinal de contas eu era contra essas listas e acabei fazendo a minha. Você pode até ter razão, mas acho importante destacar que mudar de opinião é saudável e tido como sinal de inteligência.

Talvez eu não gostasse é da lista dos outros, mas da minha, honestamente, gostei muito!

Amor, dedicação, diversão, limite e exemplo.

Boa sorte para todos nós!

4 comentários em “Minha lista infalível para ser um bom pai

  1. Posso acrescentar um item??? Colinho. Até eu gosto. Na verdade 2: Meu filho diz assim: “mãe, senta aqui com o Gabi pra ver filminho??” Heheheheeh

Deixe uma resposta